quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

Harley-Davidson: novas motocicletas no "forno"?


Há muitas especulações no mercado recentemente, desde que se descobriu que a Harley-Davidson Motor Company pediu a patente de dois nomes: “Bronx” e “Harley-Davidson Bronx”. O pedido foi registrado no segmento de “motocicletas e partes estruturais de motocicletas” no Escritório de Patentes e Marcas, dos EUA.

Sabendo em que setor foi feito o pedido, conclui-se que não se trata de acessório nem de roupa.  Tudo indica ser o nome de um novo modelo de motocicleta.

O pedido foi registrado em 8/12/2017 e a Motor Company tem 36 meses para apresentar o modelo pronto ou o pedido é arquivado.  Assim, é provável que a nova motocicleta seja apresentada ao público nos próximos catálogos.

O nome não dá nenhuma pista de que motocicleta poderia ser. The Bronx, um dos distritos da cidade de New York, não tem ligação com a Harley-Davidson ou com motocicletas, em geral.

Mas tudo parece indicar que a HDMC está, realmente, trabalhando para cumprir a promessa de introduzir 100 novas motocicletas em 10 anos.

Vamos ver.

terça-feira, 9 de janeiro de 2018

Harley-Davidson registra crescimento no Brasil

Fábrica da Harley-Davidson em Manaus, AM
A Harley-Davidson continua apostando a longo prazo no Brasil, que é referência de mercado com grande potencial em todo o continente latino-americano. A marca tem uma operação local sólida e isso dá bases para que os desafios comerciais sejam enfrentados independentemente de qualquer crise.

Mesmo com a economia recessiva e o segmento de motocicletas em queda a H-D do B registrou o primeiro lugar entre as montadoras que fabricam modelos de mais de 600 cilindradas, com 21% de participação no mercado em dezembro de 2017. No acumulado do ano também houve crescimento, já que a marca teve 17,6% de participação, em comparação aos 13,7% de 2016. Com isso, a companhia torna-se uma das únicas marcas que teve crescimento de market share sobre o período anterior.

O ano de 2017 foi de grandes desafios mas de bons resultados para a Harley-Davidson do Brasil. 

A Motor Company registrou 5.295 unidades fabricadas, crescimento de 12,2% em relação às 4.719 unidades produzidas em 2016. O crescimento foi alavancado com o lançamento da linha 2018 que já estava disponível no último mês do ano em toda a rede de concessionárias da marca no País, com novos modelos no mercado nacional e uma família de motocicletas totalmente renovada.

2018 Harley-Davidson Heritage Classic
Para os próximos 10 anos, a Harley-Davidson Motor Company pretende lançar 100 modelos em todo o mundo - uma estratégia agressiva a longo prazo - como parte das ações ligadas também à nova estratégia de comunicação global da companhia. “All For Freedom, Freedom For All” é a expressão de como a H-D vê o futuro, com intuito de construir as próximas gerações de pilotos da marca.

Fonte: Harley-Davidson do Brasil

domingo, 7 de janeiro de 2018

Famosa revenda Harley-Davidson de San Francisco foi vendida


A grande maioria de Harleyros que visitam San Francisco, na Califórnia, não deixam de passar na Dudley Perkins Co., a revenda Harley-Davidson que fica na parte sul da cidade e que também tem uma loja de roupas no famoso Fisherman's Wharf.


Inaugurada em 1914, a revenda foi vendida nesta sexta-feira (5/1/2018) depois de 103 anos de propriedade da família Perkins. A revenda é uma das mais antigas dos EUA e a mais antiga operada pela mesma família.

Seu fundador Dudley Perkins e sua família tiveram que enfrentar muitos desafios nestes 103 anos de existência no mercado. Primeira Guerra Mundial, a Grande Depressão de 1929 e a Segunda Guerra Mundial foram alguns dos obstáculos e desafios que a família teve que conviver e superar, na sua história.

Durante o conflito mundial dos anos 1940, toda a produção da Harley-Davidson foi direcionada para as Forças Armadas aliadas. Assim Dudley Perkins Co. se dedicou a compra e venda de motocicletas usadas, até o final da guerra.

Alguns anos mais tarde a California Highway Patrol, inspiradora do seriado CHIPs dos anos 1980, foi criada e a Dudley Perkins Co. forneceu todas as motocicletas H-D da força policial. Como não havia motocicletas novas disponíveis na fábrica, a Dudley comprou motocicletas usadas do Exército, reformou e adaptou para o serviço de patrulhamento rodoviário. O treinamento aos policiais também foi dado pela empresa.

Erik Estrada, Robert Pine e Larry Wilcox, atores
principais do seriado CHiPs
Em 1968 Dudley Perkins aposentou-se e passou o comando da revenda para seu filhos, Dudley Perkins Jr., que dirigiu a empresa até 1996. A partir daí, seu filho Thomas Perkins assumiu a empresa até 2015, quando faleceu. Sua esposa Janet e o filho do casal, Christopher, continuaram o trabalho até a decisão da venda.

A Dudley-Perkins Co. Harley-Davidson foi comprada por Rich Gargano e Cliff Chester, empresários que já são proprietários de outras revendas Harley-Davidson: West Coast Harley-Davidson de Salinas e House of Thunder Harley-Davidson de Morgan Hill, ambas no estado da Califórnia.

Nós, particularmente, não tivemos uma boa impressão da revenda, quando a visitamos em maio de 2015. O atendimento foi muito abaixo do nível que experimentamos em dezenas de outras revendas que conhecemos nos EUA e Canadá. Expressei meu descontentamento na postagem  A exceçãoque justifica a regra, publicada em junho de 2015.

Espero ter minha impressão negativa modificada, da próxima vez que visitarmos San Francisco!

quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

O Brasil que eu não sonhei


Começamos mais um ano e a tragédia brasileira continua, levando o país numa viagem inexorável ao desastre.

As notícias são uma delícia, se você for um masoquista de carteirinha: mais aumento em tudo (gasolina, IPTU, IPVA, escolas, planos de saúde, etc.), indulto natalino para condenados por corrupção, índices olímpicos de homicídios, o comandante do Exército pedindo água (por não querer mais suas tropas fazendo papel de polícia) e por aí vai.

Mas, num país onde tudo sempre pode ficar ainda pior, mais uma má notícia do serviço que já foi um orgulho e que hoje é só uma grande vergonha: Correios.

Deleitem-se com as notícias:

Todas as encomendas com fins comerciais enviadas pelos Correios e demais transportadoras deverão ser obrigatoriamente acompanhadas de nota fiscal a partir desta terça-feira, dia 2 de janeiro de 2018. “Nenhuma encomenda será aceita nas agências sem que o documento esteja devidamente afixado externamente à embalagem”, informaram os Correios.

Para enviar produtos que não estão sujeitos à tributação (sem fins comerciais) será necessário preencher uma declaração de conteúdo, que também deve ser fixada na parte externa do pacote. Segundo os Correios, a medida visa atender às exigências dos órgãos de fiscalização tributária sobre legislações para a circulação de mercadorias no país.

Fonte: Gazeta do Povo

Então fica combinado assim: os Correios continuam a atrasar, danificar e perder suas encomendas mas, em compensação, você tem mais um formulário para preencher, quando enviar aquele brinquedo para o seu neto que mora em outra cidade.


Ah, que saudades dos anos 1970 . . . 

sábado, 23 de dezembro de 2017

Curitiba: Papai Noel vem de Harley-Davidson

Moisés da Silva, o Capitão Moita, no Centro Cívico em Curitiba
Durante a época natalina a cidade de Curitiba é invadida por inúmeros papais-noel. Eles estão na frente das lojas ou nos shoppings para atrair clientes, em eventos alusivos à data espalhados pelos bairros ou mesmo circulando nas ruas para arrancar o sorriso das pessoas e, principalmente, das crianças.

Um deles é um dos mais festejados por onde passa. E por um motivo especial: em vez de trenó ou carro, Moisés da Silva, conhecido como Capitão Moita, assume o papel de ‘Papai Noel Motociclista’, montado na sua Harley-Davidson Panhead 1951.


O personagem ganhou vida há 20 anos para alegrar os filhos, depois que um papai noel contratado para animar o natal na casa dele não empolgou a família. “Na época comprei uma roupa de papai noel na feira de natal da Praça Osório. No ano seguinte saí com minha moto pela cidade e a recepção das pessoas foi muito boa”, conta.

É claro que o estilo único do ‘bom velhinho’ não se limitaria a passeios em duas rodas pela cidade. Hoje, Moisés participa das celebrações de Natal em grandes empresas, residências e eventos beneficentes. “O personagem é muito mágico”, diz.

Para o capitão, título que ganhou por ser o comandante de seu motoclube, o mais importante não são as roupas, mas o espírito do Natal. Ele conta que a  moto ajuda a compor um papai noel mais descolado, como define. “Outro dia, no trânsito, liguei as luzes da minha moto e as crianças do carro ao lado gritaram e me chamaram. Foi muito gratificante”, comenta.


A decoração da cidade ajuda a entrar no clima. “Curitiba andava muito triste nesse período, agora não, pois a cidade se vestiu de natal.”

Fonte: Gazeta do Povo. Fotos: Luiz Costa

quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

CNH eletrônica não é aceita ainda em aeroportos


A Carteira Nacional de Habilitação eletrônica (CNH-e) já está vigente em Goiás, Alagoas e Distrito Federal e em testes no Rio de Janeiro e Distrito Federal, mas ainda não pode ser usada como documento em viagens aéreas domésticas, segundo anunciou a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) nesta quarta-feira (20).

Passageiros que já possuem a CNH digital no smartphone, lançada em outubro passado, deverão portar outros documentos antes de embarcar, provavelmente até que o sistema seja implementado em todo o Brasil - a partir de fevereiro de 2018.

O novo formato do documento possui um QR Code para a autenticação da carteira eletrônica, onde estão armazenadas as informações da CNH impressa, inclusive com a foto do condutor e a assinatura digital da autoridade de trânsito. Entretanto a tecnologia para a leitura do QR Code é uma tecnologia ainda não disponível para as empresas aéreas, nos aeroportos.

A CNH eletrônica pode substituir por completo o documento físico. Ela já é aceita como documento oficial em outras situações e motoristas dos estados que já a emitem podem dirigir portando apenas o celular com o aplicativo.

                       Nova CNH trocará o papel pelo cartão de plástico